sexta-feira, 25 de outubro de 2013

EXCLUSIVO Jornal Zona de Conflito Mídia Independente

Imagens inéditas e exclusivas de nossos guerreiros sendo presos no dia 15/10. E assim a ditadura volta dar as caras... Imagens: Marcos De Sordi



Administrador da página Black Bloc - RIO DE JANEIRO - libertado fala sobre sua prisão. Veja: https://www.facebook.com/virusplanetario

segunda-feira, 21 de outubro de 2013


SEM-TETO EM FOTOS (SP): BONS DE FESTA E BONS DE LUTA. (Do http://blogdejadson.blogspot.com.br/)

Comemoração do Dia da Criança no passeio da Avenida Ipiranga, em frente
ao prédio (número 925) ocupado pelos sem-teto. Seguem fotos da festa:
A festa durou toda a manhã da terça, dia 12. Seguem fotos de aspectos internos do prédio:

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

ROMPENDO O SILÊNCIO - Palavra de ativista...

E um comentário... 
FiveStarsBR - "Não se faz manifestação com pedaço de cartolina, não se muda um país com nariz de palhaço, não há como mudar uma nação sem derramar uma gota de sangue pelo chão. Veja todos os fatos que marcaram nossa evolução, muito Antes de Cristo, foram sempre de batalhas sangrentas, pois, o sangue é o único símbolo que marca a vitória e da derrota ao mesmo tempo. Ou vocês travam uma batalha sangrenta contra o governo de uma só vez, ou joguem a toalha e virem as costas. Nada contra ao trabalho dos 2 no vídeo."

Fonte: Midia Independente Coletiva 
Midia Independente Coletiva

PORQUE NINGUÉM É DE FERRO! Pout-Pourri Canto de Carimbó / Lua Luar / Canto de Atravessar

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

O 'Subcomandante Marcos' - O black bloc mexicano

Subcomandante Marcos em 25 de setembro de 2012 11:55 (veja o vídeo abaixo)
 Ele é o líder mascarado do Exército Zapatista de Libertação Nacional, um grupo rebelde que luta por melhores cuidados de saúde, educação e habitação para os pobres do México. Subcomandante Marcos tornou-se um herói cult - e uma pedra no sapato do governo mexicano.
    

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

A FACE DA DITADURA - ISSO É MUITO SÉRIO!

 
A FIFA exige que os protestos cessem até a Copa. Diante disso, o (des)governo resolveu endurecer na repressão e o resultado disso estamos sentindo nas ruas, diariamente. Violência física, moral, de todas as formas e arbitrárias! 

 O governo do Estado do Rio de Janeiro vai atuar com base numa lei sancionada pela Presidenta Dilma que se chama: LOC -Lei de Organização Criminosa. O número da Lei é 12.850. Foi sancionada em agosto pela presidenta, está em vigor desde Setembro e seu exercício é de atribuição da Polícia Civil. 


 A Dilma sancionou modificações à Lei em agosto que pode enquadrar manifestantes e está em vigor desde setembro. Cabral declarou que o Estado RJ vai endurecer e utilizá-las a partir de agora para quem for preso em atos políticos. Está no jornal O Dia, de hoje. 

Nela está escrito: "Quando houver reunião de quatro ou mais indivíduos formal ou informalmente, através de qualquer meio para a prática criminosa (vandalismo e depredações) serão autuados como organização/facção criminosa, podendo pegar até 8 anos de cadeia." 

ESTEJAMOS ALERTAS! — 

 Acorda, amor! 

Por: Pedro Alexandre Sanches

Numa bonita canção dos anos 1970 chamada “Acorda, amor”, Chico Buarque cantava uma letra na qual os ditadores aterrorizavam seu sono.
Desesperado diante “da dura”, Chico acordava a parceira e contava-lhe o pesadelo que, ao final da canção, percebia-se ser realidade e não sonho. Visado pela censura, Chico assinou com o pseudônimo Julinho da Adelaide, em parceria com um tal Leonel Paiva. Cheia de metáforas e meias-palavras, e sem a assinatura do compositor real, a canção passou pela censura.

Hoje, Chico Buarque é a própria censura. As vítimas agora são os escritores brasileiros, calados diante da proibição às biografias não-autorizadas endossada pelo compositor.

Meu caro amigo Chico, o que aconteceu? Chico hoje está “exilado” em Paris escrevendo seu novo romance (quem dera ele escrevesse uma autobiografia, essa seria também muito bem-vinda!). Não obstante a distância, ele apoia artistas do quilate de Milton Nascimento, Djavan, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Roberto Carlos e Erasmo Carlos na polêmica que pega fogo no Brasil atual: a questão das biografias não-autorizadas. 

FONTE: http://farofafa.cartacapital.com.br